Sidnei Clemente Peres

Sidnei Clemente Peres (UFF)

Atualmente venho refletindo e produzindo textos a partir da minha última experiência de pesquisa e atuação profissional como coordenador de grupo técnico de identificação de terra indígena no Médio Rio Negro, Amazonas. Tal trabalho se beneficia de vários estudos de campo (tanto acadêmicos quanto de caráter político) na região há mais de uma década. Penso que se insere na proposta do convênio, pois tenho buscado estudar os processos étnicos (e de territorialização) relacionados a conflitos por terra e acesso a recursos naturais, formação de redes associativistas, movimento indígena, cooperação internacional e políticas estatais. Tal empreendimento científico implica em uma abordagem que articula antropologia e história, trabalho de campo e arquivo, investigação acadêmica e compromisso político. Tenho também orientado alunos de pós-graduação (mestrado e doutorado) em pesquisas sobre conflitos fundiários e socioambientais em contextos diversos envolvendo grupos étnicos ou populações tradicionais em luta por direitos territoriais.

Coordeno um projeto de mobilidade internacional com Moçambique (em fase final de sistematização e análise) no qual estamos investigando como a sociedade civil e o universo acadêmico estão objetivando os conflitos fundiários e socioambientais que envolvem vários grupos étnicos naquele país (comparativamente ao Brasil). Mas este projeto não tem ligação direta com o Convênio CAPES-COFECUB, pois remete a outro continente (África). Envio em anexo três textos de minha autoria: o primeiro foi publicado na Vibrant (Revista da ABA), o segundo foi publicado em uma coletânea sobre o SPI (livro) e o terceiro foi publicado em uma coletânea sobre Missões e Culturas Indígenas (Cambridge Scholars Publishing, 2013).

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search